logo whatsapp.png
  • Branca Ícone Instagram
  • White Facebook Icon

Proteja-se contra a leishmaniose

A leishmaniose é uma doença causada por parasitas do gênero Leishmania. Esses parasitas instalam-se e multiplicam-se no interior das células que compõem o sistema de defesa de uma pessoa, denominadas macrófagos.


Existem dois tipos de leishmaniose: a tegumentar, também chamada de cutânea, e a visceral, também denominada calazar.

A leishmaniose tegumentar ou cutânea é o tipo mais comum da patologia. Também conhecida como feriada brava, provoca feriadas na pele do indivíduo, que podem se transformar em feridas nas mucosas. Essas feridas são avermelhadas, ovaladas e com bordas delimitadas.


Já a leishmaniose visceral ou calazar, atinge diferentes órgãos como o baço e o fígado, e também a medula óssea. Entre os sintomas desse tipo, estão febre, tosse, dor abdominal, perda de peso, indisposição, diarreia, inchaço do abdômen pelo aumento do fígado e do baço, e até anemia.


Como ocorre a transmissão?


A leishmaniose é transmitida por insetos hematófagos, ou sejam que se alimentam de sangue, denominados de flebótomos ou flebotomíneos. Os flebótomos possuem de 2 a 3 mm de comprimento e consegue atravessar telas e mosquiteiros. São caracterizados por terem uma cor amarelada ou acinzentada e conhecidos como palhinha, mosquito palha, tatuquira, entre outros termos de acordo com os diferentes locais.

Os animais silvestres e insetos flebotomíneos abrigam o parasita transmissor da leishmaniose em seu tubo digestivo. Entretanto, animais domésticos, como cães e cavalos também podem servir de abrigo para o parasita.


Formas de prevenção


A melhor maneira de se proteger contra a leishmaniose é adotar medidas como:


. Seguir as recomendações dos órgãos de saúde em relação a dedetizações

. Instalar telas protetoras em janelas e portas

. Utilizar mosquiteiros para dormir

. Evitar a construção de casas em áreas próximas a matas

. Tomar cuidado com banhos em rios ou igarapés perto da mata

. Limpar frequentemente áreas próximas às residências e os abrigos dos animais domésticos

. Podar árvores regularmente

. Não acumular lixo orgânico.


Fontes:

Ministério da Saúde

Rede D’or

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Logotipo AME.jpg